mito da híper procriação

Comentário ao artigo  O maior dos défices: o de nascimentos   Em que é que se baseia esse mito, que inventou que aumento populacional é bom? Percebe-se que um país é pobre, está a viver mal ou em guerra, quando a taxa de natalidade aumenta. Quando os efectivos duram mais tempo a velocidade de reprodução […]

Read more "mito da híper procriação"

o folclore de latrocínio

Comentário rectificado ao artigo Porque é que só se mudam procedimentos depois de casa roubada?   O caro Cabral sabe perfeitamente que um “estado”, na actual idade média, é um feudo da corte financeira. Na nossa querida idade média, o “estado” é propriedade dos “mercados”, deve-lhes obediência e tributos, como qualquer feudo medieval da altura […]

Read more "o folclore de latrocínio"

Rotina germânica

Comentário ao artigo O fim da linha para a zona euro?   Os germânicos são conhecidos há séculos. A ignorância dos políticos e “economistas” é confrangedora. O sul conhece a barbárie germânica há muito. Já Júlio César fala de uma barbárie tosca em que não se pode confiar nunca. Em tempo algum a barbárie germânica […]

Read more "Rotina germânica"

A matilha de hienas

Este artigo é um comentário censurado por Francisco Louçã ao artigo Valha-me Deus, a Justiça é discutida A censura continua a ser uma prática pela esquerda, como se pode ver na conduta de Francisco Louçã. “Não é boa notícia, que a decisão do tribunal possa desviar-se da lei para navegar ao sabor das alergias de […]

Read more "A matilha de hienas"

Pré-históricos pilha galinhas

Comentário Epicuro ao artigo A reforma da zona euro O caro Ricardo Cabral deveria estudar melhor como é que a Alemanha foi o país europeu mais exposto à crise dos USA e, por milagre, passou a ser credora de países que não tiveram sequer um quinto das perdas desse país. Como é que foi esse […]

Read more "Pré-históricos pilha galinhas"

Economista barbeiro-cirurgião

Quando, daqui a uns anos, disserem que no nosso tempo a população tinha de pagar os papelinhos coloridos (dinheiro) feitos do nada pelos banqueiros, vão perceber o grau de atraso medieval do nosso tempo. A população não tem qualquer dívida. O dinheiro é feito do nada e entregue aos do costume para colocarem a população […]

Read more "Economista barbeiro-cirurgião"